Cerâmicas do Jequitinhonha

Cerâmicas do Jequitinhonha

 

 

O Vale do Jequitinhonha, localizado no norte do estado de Minas Gerais, é reconhecido como um dos lugares mais criativos do Brasil, onde a cerâmica é uma tradição mantida por gerações. 

Fundada em 1994, a Associação Coqueiro Campo inicialmente reunia nove mulheres que se reconheceram enquanto artesãs e detentoras do saber-fazer cerâmica no Jequitinhonha. 

 

foto Artesol 

Essas mesmas, em busca da geração de trabalho e renda, se organizaram e conseguiram incentivos para edificar a sede que abrigaria uma pequena loja, feita de adobe, talento e coragem. Daí em diante, muitas outras mulheres da região se aproximaram, aprenderam o ofício e trocaram conhecimentos sobre artesanatos, e hoje, o grupo já soma quarenta e quatro artesãs. 

Cada uma delas trabalha de casa, conciliando a cerâmica aos afazeres domésticos, e algumas ainda conciliam com outras atividades extras como complemento de renda.

Adriana, integrante da Associação há 12 anos, nos conta que suas ascendentes, provavelmente antes mesmo de sua bisavó, já produziam peças em barro: peças utilitárias como botijas, potes e panelas, em marrom e branco, características comuns das peças feitas por mãos anciãs em um processo totalmente manual. 

 

 

Naquela época as mulheres carregavam por quilômetros a matéria-prima na cabeça. Para isso, como ainda precisa ser nos dias de hoje, o barro era retirado na alavanca, evitando a mistura de material impróprio para feitura da cerâmica, tarefa que conta com a contribuição masculina sob orientação das artesãs que sabem indicar as cores e texturas ideais.

  

 

Após a coleta do barro é preciso pilar e peneirar, tirando qualquer resíduo de areia e pedra, deixando-o no ponto de ser modelado.

Nesse processo, as cerâmicas do Jequitinhonha vão se tornando cada vez mais elaboradas, ganhando novos contornos e aplicações, incorporando a potência dos óxidos do solo da região capazes de conferir cores únicas, vibrantes e alegres, às peças naturais. 

Atualmente, as artesãs produzem peças para fins utilitários, como os filtros,
e decorativos como as bonecas, dentre diversos outros produtos. 

 

 Foto Artesol

Nossas parceiras desde 2017, as artesãs de Coqueiro Campo já criaram delicados acessórios e dessa vez produziram uma série de louças que nos inspiram para um cotidiano mais bonito e colorido. Cerâmicas vivas em tons terrosos materializam o encontro entre a terra, as pessoas e as coisas.

 


Para comprar as peças, clique aqui.

Ler mais

Colares Pios - Cantos entalhados viram amuletos vestíveis

Colares Pios - Cantos entalhados viram amuletos vestíveis

Diálogos do Vestir #3 - Beth Bastos

Diálogos do Vestir #3 - Beth Bastos